Voluntários do Movimento Mangue sem Lixo recolhem 400 quilos de lixo em manguezal

As atividades de catação do lixo nos manguezais, acontecem uma vez por mês e tem como objetivo chamar a atenção para a importância e preservação desta flora

Moradores e voluntários realizaram no último domingo (22/08), no povoado do Mojó, em Paço do Lumiar, um mutirão de limpeza de um trecho do mangue, onde boa parte dos dejetos despejados no mar se concentram, desmatando boa parte da vegetação dos manguezais. Os voluntários recolheram neste local mais de 407 quilos de lixo. Boa parte destes resíduos eram garrafas Pet´s, isopor, redes e fios de pesca, par de calçados, solas e chinelos.

Para o um dos voluntários, o bombeiro Marcos Pimenta, uma parte dos resíduos encontrados são oriundos dos próprios pescadores, como rede de pesca, linhas de nylon e isopor. “Falta ainda a conscientização do pescador para ele entender que não se joga isopor, restos de rede de pesca e linhas, como se fosse lixo, no próprio mangue, que é de onde ele tira seu próprio sustento”.

O “Movimento Mangue Sem Lixo”, é uma iniciativa da Organização Não-Governamental (ONG) Arte-Mojó, da Associação de Trabalhadores Rurais de Mojó e Montanha Russa, Sítio Jiboia e Associação Ambiental Orla Viva, com parceria do Núcleo de Gestão Socioambiental do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) e Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Naturais de Paço do Lumiar-MA.

As atividades de catação do lixo, dentro dos manguezais, acontecem uma vez por mês e tem como objetivo chamar a atenção para a preservação desta flora, que vem sendo ameaçada por toneladas de resíduos sólidos todos os dias. Para a presidente da Ong, Graça Soares, a meta, além da limpeza, é fazer o replantio dessas árvores nas áreas que já estão sofrendo devastação por excesso de garrafas pet, sacolas plásticas, solas de sapato, isopor e redes de pesca.

“A ideia do Movimento Mangue sem Lixo não é só limpar o mangue, pois sabemos que não vamos conseguir tirar todo o lixo que tem nele, mas além de alertar a população e os moradores da região, queremos fazer o replantio desta vegetação, que vem sofrendo com essa quantidade de plásticos em suas raízes”, afirmou Graça Soares.

Os interessados em contribuir com doação de máscaras, luvas e sacos de lixo (de preferência biodegradáveis e como voluntários, podem entrar em contato com os organizadores pelos telefones 99118-3377 e 98134-0233 ou pelo e-mail: artemojo@hotmail.com. (Texto @mivangedeon Foto: @euwillemos)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s